sábado, 18 de fevereiro de 2012

SONO BOM, DIA BOM!

     Recentemente a música perdeu uma Diva, Whitney Houston, uma cantora que fez a fama e, infelizmente, teve seus problemas com drogas. Ela se tratou e conseguiu voltar a cantar, mas para sentir-se melhor passou a usar medicamentos para dormir, tornando-a dependente. Para alguns especialistas, ainda que não confirmado, a sua morte está ligada ao uso abusivo de medicamentos e álcool.

    Isso nos faz pensar que atualmente, devido ao estresse do dia a dia, muito trabalho, sedentarismo é comum encontrarmos pessoas que tem dificuldade para dormir, com depressão e utilizam medicamentos, bebidas ou até drogas para se sentirem melhor. Mas será que este é o melhor caminho?

   Será este a melhor forma para conseguir dormir, para sentir-se bem, para acabar a depressão? Para algumas pessoas pode até ser, pois usar medicamentos para tais fins é a maneira mais rápida, simples e fácil de buscar o resultado, mas será o melhor método? Estas questões são realmente para pensarmos como está a nossa vida, o que estamos fazendo com o nosso corpo. 

    Podemos dizer que Deus nos criou como uma “máquina” perfeita para o movimento. Nós podemos agachar, pular, correr, rolar, andar, fazer movimentos para frente, para trás, para os lados e muito mais. Mas estamos fazendo todos esses movimentos? Não, não estamos nos movimentando, ficamos a maior parte do dia parado, seja, sentado no trabalho, em frente à TV, dormindo e isso nos torna sedentário.  

   Juntando todo esse sedentarismo com o estresse do dia a dia, muitos de nós teremos problemas para dormir e porque não fazer exercício físico ao invés de tomar medicamentos que faz dormir, mas gera dependência e traz outros efeitos colaterais.

   Vejamos como o exercício pode ajudar a melhorar o sono tendo uma noite tranquila e acordando descansado:

   A atividade física estimula o hipotálamo aumentando a liberação de endorfina, serotonina, causando uma sensação de bem estar e melhorando a qualidade do sono.

   Alguns estudos verificaram que o exercício pode aumentar a latência de sono REM* e/ou diminuir o tempo desse estágio de sono, o que retrataria um índice de estresse induzido pelo exercício. Em relação ao tempo total de sono, admite-se que exercícios agudos, em que não há adaptação à sua duração, trazem aumento do episódio total de sono, assim como no exercício físico crônico, indivíduos treinados apresentam maior tempo de sono em comparação com indivíduos sedentários, mesmo sem treinarem, o que reforça a necessidade de mais sono para restabelecer a homeostase perturbada pelo exercício físico.

   Em um estudo realizado por Paul D. Loprinzi (publicado em 2011 pela revista (MentalHealth and Physical Activity) com 3081 pessoas, entre homens e mulheres, e descobriu que praticar 150 minutos de atividade moderada a vigorosa por semana melhora 65% a qualidade do sono, diminui a sonolência durante o dia em comparação com as pessoas que praticavam menos exercício ou eram sedentárias. 

   Para Cardinail (coautor da pesquisa) “existe um contraposto, pode ser mais fácil quando se está cansado pular o treino e ir dormir, mas pode se mais benéfico para a saúde a longo prazo fazer a difícil decisão e ir fazer seu exercício”.

   Então, ao invés utilizar calmantes, antidepressivos e medicamentos para melhora do sono, faça exercício físico, mexa-se.

Seu corpo foi criado para movimentar, então levanta dai e vá fazer exercício físico.



Fonte:

Driver HS, Taylor S. Exercise and sleep. Sleep Med Rev 2000;4:387-402

Horne JA, Moore VJ. Sleep EEG effects of exercise with and without additional body cooling. Eletroencephalogr Clin Neurophysiol 1985;60:33-8.

Loprinzi PD., Cardinal BJ. Association between objectively-measured physical activity and sleep, NHANES 2005–2006. Mental Health and Physical Activity 4 (2011) 65e69
Youngstedt SD, O'Connor PJ, Dishman RK. The effects of acute exercise on sleep: a quantitative synthesis. Sleep 1997;20:203-14.









Nenhum comentário:

Postar um comentário